Forâmen Oval Patente

O Forâmen Oval Patente (FOP) é um canal que permite a comunicação entre as cavidades direitas e esquerdas do coração, que é fundamental no desenvolvimento do bebê durante a gestação. Habitualmente esse canal encerra-se após o nascimento, podendo persistir até à idade adulta em 20-30% dos casos.

A persistência do forâmen oval pode estar relacionada com eventos isquêmicos cerebrais, o acidente vascular cerebral (AVC).Ocorrendo por embolização de trombos formados nas veias dos membros inferiores e pélvis que migram para o coração direito e, através do canal (FOP), para as cavidades cardíacas esquerdas e posteriormente para o cérebro.

Forâmen Oval Patente e prevenção de eventos cerebrais

Na maioria dos casos, a prevenção de eventos isquêmicos cerebrais é realizada recorrendo a antiagregação plaquetária (i.e. aspirina) ou hipocoagulação (i.e. varfarina ou novos anticoagulantes). Em casos excepcionais, em que há suspeita de embolização cerebral através do FOP, pode estar indicado o fechamento percutâneo do FOP.

Fechamento percutâneo do forâmen oval patente

O FOP pode ser fechado com um dispositivo metálico que se posiciona nesse canal existente no septo interatrial. O dispositivo é implantado de forma percutânea (não cirúrgica), utilizando um sistema de catéteres que levam com segurança o dispositivo até o local correto do coração. Os catéteres são colocados através da veia femoral, assim, sem necessidade de incisão cirúrgica ou anestesia geral. O dispositivo implantado irá permanecer permanentemente no coração, ficando totalmente recoberto com tecido endotelial ao fim de 1 a 3 meses após o procedimento. O fechamento percutâneo do FOP tem uma duração de 30-60 minutos, seguido de um curto período de hospitalização (1 dia).

Após a alta hospitalar, o paciente deverá fazer alguns controles por ecocardiografia transesofagica para avaliar o dispositivo.

Quem são os candidatos ao fechamento de FOP?

A presença de FOP não é considerado patologia, persistindo em 20-30% da população geral e, apenas em casos raros, está associado a eventos isquêmicos cerebrais. O fechamento percutâneo de FOP não mostrou superioridade em relação à terapêutica anticoagulante, mas é uma alternativa a ser considerada em casos selecionados, principalmente havendo:

a) persistência de eventos isquémicos cerebrais, apesar de terapêutica antitrombótica;

b) contraindicação para anticoagulação por risco hemorrágico significativo;

c) adultos jovens, para evitar atoma crónica de hipocoagulação;

d) demonstração de mecanismo de embolização pelo FOP (trombo em “trânsito”);

e) presença de critérios ecocardiográficos que aumentam a probabilidade de embolização pelo FOP (i.e.shunt espontâneo ou massivo, fluxo dirigido para o septo interauricular por membrana de Eustáquio ou rede de Chiari).

Dr. Roderick

Cardiologia - Clínica Médica

ENTRE EM CONTATO